Aula Magna ESEG


Aula Magna ESEG


Aula Magna da ESEG apresenta os desafios da logística mundial

O segundo semestre letivo da Escola Superior de Engenharia e Gestão (ESEG) teve início com uma Aula Magna, no dia 7 de agosto, com palestra sobre os desafios da logística mundial com a participação de Douglas Tacla, vice-presidente de logística da Kuhne-Nagel.

Um dos aspectos destacados pelo palestrante convidado foi a evolução do termo logística que, antes, considerava somente atividades como o transporte e o armazenamento de produtos. De acordo com Douglas Tacla, isso mudou e logística passou a ser vista como a integração dos processos de transporte e distribuição, e tem se expandido para o planejamento das várias fases da cadeia de abastecimento de uma empresa.

Para Douglas Tacla, a logística influencia diretamente na competitividade, por isso a empresa com o melhor sistema logístico garante o lugar dos seus produtos nas prateleiras. “Se antes o papel da logística era somente entregar o produto certo, no lugar certo e na hora certa, agora, ela precisa agregar valor ao produto final”, comenta.

Segundo Douglas Tacla, os maiores desafios das grandes empresas em termos de logística são: manter o padrão em todos os mercados em que atuam e determinar quais setores da cadeia produtiva podem ser gerenciados pelos operadores logísticos.

Como exemplo, ele citou o sequenciamento de peças de uma montadora de automóveis que é gerenciado por uma empresa de logística. Nesse caso, o papel do operador logístico é garantir a chegada das peças em cada fase da cadeia de produção dos carros, evitando atrasos.

No caso do Brasil, os operadores logísticos enfrentam um cenário bastante peculiar em comparação com os países mais desenvolvidos devido aos problemas de infraestrutura como, por exemplo, más condições das estradas, frota de caminhões ultrapassada, grandes distancias entre os principais portos, entre outros.

“As empresas brasileiras têm gastos extras de R$ 17,1 bilhões anuais por conta disso, sendo que esse mesmo valor poderia ser reinvestido e sanar os principais problemas que afetam a logística brasileira”, afirma Tacla.

Por outro lado, é possível compensar esses gastos com uma boa gestão da cadeia de suprimentos. “Os operadores logísticos têm o papel de entender toda a cadeia de negócios da empresa e propor soluções para otimizar os processos de transporte, armazenagem, distribuição ou qualquer outra área relevante. Por isso, a logística é uma área em evolução e com muito potencial para melhorar e crescer”, conclui Tacla.